A profecia que anuncia o surgimento do islamismo
janeiro 3, 2017
As 7 trombetas e as 7 pragas: semelhanças e diferenças
janeiro 3, 2017

Como interpretar as trombetas do Apocalipse?

1. Devem ser interpretadas dentro da visão historicista

Há pelo menos três escolas de interpretação profética: os preteristas, futuristas e historicistas. Tais escolas diferem-se em origem, pressuposições e abordagens. Consequentemente, a opção por uma delas afetará a compreensão do tema. Assim, torna-se relevante pelo menos mencionar uma síntese de cada escola.

A escola historicista considera que houve revelações divinas acerca do futuro, descrevendo aquilo que iria acontecer na história humana em relação ao povo de Deus. A escola preterista considera que as profecias se realizaram todas no passado (na história antiga de Israel) ou era um vaticinium ex eventu (profecia depois do evento). Já a escola futurista considera que as profecias apocalípticas se referem em parte ao passado e em parte a um futuro distante . Optamos pela escola historicista porque “o cumprimento da profecia tem lugar dentro do fluxo da história como um todo” .

2. Devem ser interpretadas dentro do contexto do livro do Apocalipse

Recapitulação é fundamental nas profecias apocalípticas (Dn 2,7,8 e 11). As trombetas recapitulam a história desde uma perspectiva particular e, em alguma extensão, paralelamente a outros ciclos de sete encontrados no Apocalipse. Cada paralelo analisa o período histórico por ângulos diferentes e até suplementares.

 

Visões paralelas
Foco das mensagens
Relação com o santuário
Outros paralelos
As sete igrejas
O povo de Deus
Apostasia
Igreja
Cristo como sumo sacerdote no santuário celestial ministrando sobre os 7 candeeiros de ouro- Ap 1:12-16
Os sete selos
O sofrimento do povo de Deus
Poderes opressores
Igreja+Mundo
Cristo na sala do trono de Deus dispondo-se a abrir o livro do destino final.
Estão arranjados em grupos de 4 e de três. Os primeiros selos formam um grupo, os 4 cavaleiros. (Ap 6:1-8)
As sete trombetas
Juízos sobre os inimigos do povo de Deus
Juízos divinos parciais
Mundo
Sob a sétima trombeta Cristo começa seu ministério no segundo compartimento do santuário
As últimas três trombetas formam um grupo, os três ais.

3. Devem ser interpretadas sob a visão do Antigo Testamento

O pano de fundo para a compreensão das trombetas, bem como do próprio Livro do Apocalipse deve ser o Antigo Testamento. Uma rápida visão sobre alguns pontos do AT podem prover o background para a interpretação das trombetas do Apocalipse.

(1) É necessário compreender as festas de Israel
O ano litúrgico começava com Nisan ou Abib, ou seja, o primeiro mês (primavera) com a festa da Páscoa e terminava somente no sétimo mês, Tishri, no outono, com a festa da expiação. Do mês da páscoa até o mês da expiação ocorriam sete toques de trombetas, um no início de cada mês (Nm 10:10). Dentro da tipologia bíblica, a festa da páscoa apontava para a cruz, e o dia da expiação para os eventos do juízo em 1844. Alguns teólogos usam esta tipologia para solidificar a interpretação historicista das trombetas, que começou no primeiro século estendendo-se até o toque da sétima trombeta em 1844.Ainda sobre as festas em Israel mais um detalhe deve ser notado. Dez dias antes do dia da expiação a trombeta era tocada, e para o povo, significava um lembrete de que o dia do juízo estava chegando. Em outras palavras, a festa das trombetas chama o povo ao arrependimento, à solenidade do juízo. Assim também as trombetas do Apocalipse, ao serem tocadas nos períodos históricos é um chamado de Deus ao arrependimento e ao juízo.

(2) É necessário compreender a queda de Jericó
Israel rodeou a cidade sete dias, encabeçados por sete sacerdotes empunhando sete trombetas para serem tocadas; o povo deveria guardar em silêncio. No 7º dia rodearam-na sete vezes; os sacerdotes soaram as trombetas também sete vezes, no fim do que o povo gritou com grande voz e os muros de Jericó caíram. No contexto literário das sete trombetas apocalípticas, o silêncio do 7º selo é seguido pelos soar delas. Ao toque da 7ª trombeta, “grandes vozes” dizem: “O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do Seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos.” (Ap 11:15).Outro detalhe importante deste relato é que as trombetas ao serem tocadas, foram uma advertência aos moradores de Jericó. Esta é a idéia do Apocalipse, 7 toques de advertência de Deus aos habitantes do mundo. Quem acatar as advertências de Deus será salvo, assim como foi Raabe em Jericó. Porém, aqueles que não derem ouvidos à advertência sofrerão os juízos sem misericórdia, as 7 últimas pragas.

Everton Almeida
Everton Almeida
Everton Almeida é o pastor criador do projeto "Compreendendo as Escrituras". Para conhecê-lo melhor veja sua biografia. Encontre-o também nas redes sociais: Facebook | YouTube